Marina é Tucana (apoia o Aécio)?

Marina nunca foi filiada ao PSDB. Essa crítica tem sido feita na tentativa de inserir Marina no espectro da polarização por conta de seu posicionamento crítico ao PT desde a sua saída do partido, em 2009.

Mas ela não apoiou o Aécio?

Marina Silva apoiou o compromisso assumido por Aécio Neves no segundo turno da campanha de 2014, resumido na “Carta de Pernambuco”, com destaque para as políticas sociais e socioambientais, o combate a toda forma de discriminação, o respeito aos valores democráticos e a ampliação dos espaços de exercício da cidadania.

Rede pediu a cassação do Aécio em 2017

Em 2014, não havia notícias de que as duas chapas na disputa do segundo turno. Tanto o PT como o PSDB estavam sendo financiadas pelo dinheiro da corrupção. Marina foi a única que não usou caixa 2. Com as graves denúncias trazidas pela operação Lava-Jato, a REDE, por meio da ação do senador Randolfe Rodrigues (REDE/AP), entrou com pedido de cassação do mandato de Aécio Neves do PSDB no Conselho de Ética do Senado, assim como fez na cassação do ex-senador Delcídio do Amaral, do PT, e do ex-deputado federal Eduardo Cunha, do PMDB.

Nem Tucana nem PTista

Como Marina sempre teve uma postura independente que valoriza o mérito das discussões e principalmente de aguardar o desfecho de investigações antes de posicionar a favor ou contra algo, ambos os lados da polarização tentam rotulá-la com a finalidade política de desqualificar seus argumentos. Como Marina enfatiza, ao rotular uma pessoa encerra-se a possibilidade do diálogo e se reforça a polarização pela ausência de argumentos.